Pular para o conteúdo

Pandemia e Comportamento Normativo

Título: BASES EVOLUTIVAS DAS EMOÇÕES BÁSICAS E SEU PAPEL NOS COMPORTAMENTOS NORMATIVOS: Um estudo empírico-experimental sobre a expressão de emoções durante a pandemia de COVID-19.

Apoio financeiro: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Equipe:

Evandro Barbosa (Universidade Federal de Pelotas)
Matheus de Mesquita Silveira (Universidade de Caxias do Sul)
Silvio José Lemos Vasconcellos (Universidade Federal de Santa Maria)
Thaís C Alves Costa (Universidade Federal de Pelotas)
Heloisa Allgayer (Universidade de Caxias do Sul)


Resumo: Este projeto visa estabelecer o papel que a constituição fisiológica de mamíferos sociais, especialmente humanos, desempenha na expressão das emoções sociais básicas no contexto da pandemia de COVID-19. A natureza social das emoções nessas relações estabelecidas em grupos pequenos será investigada com base em fundamentos empírico-experimentais e no papel dos movimentos expressivos na comunicação de aprovação e desaprovação sociais em canídeos e primatas sociais. Pesquisas recentes discutiram como condições extremas atuam como gatilhos para certas emoções. O problema surge quando fenômenos como uma pandemia criam condições extremas nas quais nossos julgamentos morais são distorcidos por uma série de fatores (preconceitos, ansiedades e preocupações com nossos próprios problemas), dificultando a manifestação de nossa agência moral. Essas falhas morais somam-se às limitações de nossa condição natural (falta de conhecimento, raciocínio e julgamento), tornando nossas escolhas difíceis. No que diz respeito ao estudo das expressões emocionais, será conduzido apresentando os princípios gerais das emoções propostos por Darwin (2000) em combinação com análises contemporâneas desenvolvidas pela psicologia experimental e biologia comportamental sobre o assunto. Baseando-se no estudo das emoções básicas desenvolvido por Ekman (1999), serão realizados estudos para mapear os movimentos expressivos em mamíferos sociais em relação às emoções básicas. A hipótese é que, se esses princípios forem homólogos em diferentes espécies, isso fornecerá força para a explicação evolutiva da relação entre emoções e comportamento social, oferecendo um arcabouço empiricamente sólido para entender a dinâmica da coesão social dentro das unidades familiares impulsionadas pelo contexto da pandemia.